Facebook

Por que a gestão de projetos é importante?

Hoje, se uma empresa quer alcançar os objetivos mais rápido, controlar os custos e prazos e direcionar bem toda a equipe, ela precisa recorrer às ferramentas certas para ajudá-las.

Veja, neste post, o que é gerenciamento de projetos, qual é a importância desse controle para os negócios e exemplos de metodologias que a empresa pode utilizar para melhorar ainda mais os seus processos.  

Gerenciamento de projetos: o que é?


Podemos dizer que gerenciamento de projetos é a aplicação de técnicas, conhecimentos e habilidades para executar processos de forma mais eficaz. É uma ação estratégica para que as organizações consigam alcançar seus objetivos e, assim, melhorar a sua competitividade.

Hoje, as empresas já podem contar com metodologias internacionais que contribuem para esse gerenciamento, isso quando bem utilizadas é claro. Uma dessas metodologias, por exemplo, é o Scrum. 

Essa metodologia ágil de planejamento e gestão de projetos é capaz de auxiliar as equipes na resolução de problemas e ainda assim ajudar a marca a entregar produtos com a maior nível de qualidade.   

Ah! Vale lembrar que, o gerenciamento de projetos mantém o foco nas atividades, objetivos, recursos e também na programação de cada projeto. 

Por que o gerenciamento de projetos é importante? 


Muitas pessoas se perguntam se um gerenciamento de projetos é realmente necessário. Isso porque no papel, esse processo parece ser um investimento dispensável e de pouco retorno. No entanto, a verdade é que executar funções sem uma boa gestão pode ser ilusório, uma falsa economia.

O gerenciamento de projetos é mais do que só manter os planos sob controle. Ou para cumprir prazos, administrar o orçamento e alcançar objetivos. É, também, uma forma de unir as equipes e os clientes para o sucesso. Posiciona todos os envolvidos em um mesmo caminho, deixando-os mais preparados para colocar as coisas em prática.

Além do mais, é capaz de contribuir também para:

Liderança: traz mais direção e foco aos projetos. Sem uma gestão de qualidade, a equipe acaba perdendo o rumo, movendo-se sem controle ou propósito. Nesse caso, o gerenciamento de projetos permite que toda a equipe desempenho o seu trabalho com mais qualidade. 

Alinhamento Estratégico: garante que o que está sendo entregue está correto. Assegura que os projetos fiquem enquadrados às exigências do cliente, assim como mantém um alinhamento estratégico.

Foco e Objetivo: certifica um mapeamento adequado na execução dos projetos. Se a equipe é deixada para trabalhar por conta própria e não está sendo bem direcionada, por exemplo, isso pode fazer com que não mantenham o foco nas estratégias. 

Exemplos de metodologias 



Para assegurar um controle eficiente, e também para ter certeza de que a empresa está fazendo a coisa certa, é importante que os processos estejam dentro dos padrões mundiais do PMI. O Instituto de Gerenciamento de Projetos, do inglês Project Management Institute, é uma das maiores associações para os profissionais de gestão.




O PMBOK é um guia de Conhecimento de Gerenciamento de Projetos do PMI que mostra as melhores práticas na gestão de projetos

Por meio do conteúdo é possível aprender a planejar, executar e controlar todas as faces de um planejamento. O guia descreve o ciclo de um projeto de forma completa, considerando os processos, as atividades e os documentos. Também traz métodos, normas e técnicas para uma gestão estratégica mais eficiente.

De acordo com o PMBOK, o gerenciamento é composto de dez áreas específicas, sendo elas:

Gerenciamento de Qualidade: para assegurar que o projeto satisfaça as necessidades do cliente;

Gerenciamento das Aquisições: para trabalhar no que faz de melhor enquanto deixa as demais funções para as empresas especializadas (terceiros);

Gerenciamento de Risco: para planejar, organizar, dirigir e controlar os recursos humanos e materiais de uma organização, no sentido de minimizar ou aproveitar os riscos;

Gerenciamento do Cronograma: para cumprir com os prazos do projeto;

Gerenciamento de Custos: para planejar, estimar e controlar os custos necessários para a conclusão do projeto;

Gerenciamento das Comunicações: para assegurar que as informações do projeto sejam geradas, coletadas, distribuídas, armazenadas, recuperadas e organizadas de maneira eficiente;

Gerenciamento dos Recursos: para identificar, adquirir e gerenciar os recursos necessários para a conclusão do projeto;

Gerenciamento da Integração: para identificar, definir, combinar, unificar e coordenar os vários processos e atividades dos grupos;

Gerenciamento de Escopo: para assegurar que o projeto inclua todo o trabalho necessário para que termine com sucesso; 

Gerenciamento das Partes Interessadas: para identificar as partes interessadas, priorizá-las e desenvolver estratégias para quebrar suas resistências e aumentar o engajamento. 




O MPS-BR é um modelo de qualidade de processos. Foi desenvolvido para melhorar a capacidade de desenvolvimento de software, mas também pode ser adaptado por empresas que tenham outras atividades.

Estabelece quais são os patamares de evolução dos processos, o nível de maturidade da organização e prever o desempenho na execução de atividades. Sua principal finalidade é melhorar a qualidade dos produtos, aumentar a competitividade e melhorar a reputação da empresa.

A implementação exige a aplicação de vários processos referentes ao produto. E, para que uma empresa consiga alcançar o nível de maturidade máximo é preciso adotar gerências que ajudem a colocar os procedimentos em prática, como:

Gerência de Aquisição: para gerenciar a aquisição de produtos que satisfaçam às necessidades do comprador;

Gerência de Configuração: para estabelecer e manter a integridade de todos os produtos;  

Gerência de Medição: para coletar, analisar, armazenar e relatar as informações relacionadas aos produtos desenvolvidos e aos processos implementados;

Gerência de Projetos: para manter planos que definem as atividades, recursos e responsabilidades de um processo. Também para promover informações sobre o andamento do projeto;

Gerência de Portfólio: para conservar projetos que sejam necessários, suficientes e sustentáveis;

Gerência da Qualidade: para assegurar que os produtos e a execução dos processos estejam em conformidades com os recursos e planos  pré-estabelecidos;

Gerência de Requisitos: para gerenciar os requisitos do produto e seus componentes. Também para identificar as instabilidades entre os requisitos, os planos do projeto e os produtos de trabalho.
 
Não sabe como tornar o gerenciamento de projetos mais fácil e nem como transformar os processos? Então clique e experimente o DOO, uma ferramenta capaz de integrar pessoas e processos em um só lugar. Ou, caso tenha dúvidas de como dar o primeiro passo, entre em contato com a nossa equipe para ajudar! 
 

22 de Julho de 2019

Tags:

Gestão de projetos Metodologia Liderança Alinhamento estratégico Foco e Objetivo PMBOK MPS-BR